sexta-feira, 14 de julho de 2017

Orquídeas são venenosas para os gatos? – Isto é lorota; não acredite

Gatos e orquídeas
A gata “Chiquinha” posa diante de híbrido semialbo. (Foto: Carlos Keller)

Durante muito tempo, as orquídeas fizeram parte de um universo seleto, formado por pessoas endinheiradas, que podiam pagar muito caro por elas. Depois que se desenvolveu a técnica de cultivo in vitro, e as espécies mais apreciadas passaram a ser reproduzidas aos milhares, o preço caiu e as orquidáceas se popularizaram.

Acabou-se aquela “reserva de mercado” para os ricaços, mas persistiu a ideia de que orquídea são plantas sofisticadas, difíceis de ser cultivadas, cheias de mistérios e exigências. Não são poucas as pessoas que já me perguntaram se as elas devem ser regadas apenas com água mineral. Pacientemente, explico que não existe essa absurda necessidade. É claro que não devemos regá-las com água poluída ou excessivamente clorada, mas também não é o caso de buscar saídas complicadas para algo tão simples.

Outra “lenda urbana” bastante difundida é a de que orquídeas são venenosas para os gatos. Quem teria inventado esta bobagem? Busquei respostas na internet e descobri que o boato corre o planeta. Sites europeus e norte-americanos comentam o tema, evidentemente, desmentindo a absurda fofoca.

Os felinos são carnívoros, todos nós sabemos. Mas, instintivamente, por vezes eles mastigam um vegetal. Segundo o site francês ToutMini.info, isto os ajuda a digerir, ou expelir, as bolas de pelo que se formam em seu sistema digestivo. Então, pode acontecer de o gato vomitar, depois de “lanchar” uma ponta da folha daquela Cattleya que você cultiva com tanto cuidado. Nada grave para o bichano, embora o resultado seja trágico para a estética da planta.

Até aqui, estamos falando de orquídeas, que NÃO são plantas tóxicas. A situação será bem diferente se o gato, ao invés de mascar uma Laelia ou um Epidendrum, resolver degustar uma dessas plantas realmente tóxicas tão encontradiças em nossos jardins e apartamentos. A título de alerta, transcrevo, ao final, pequena relação de espécies comumente cultivadas por nós e das quais muitos ignoram os malefícios que podem provocar no caso de ingestão (seja por animais domésticos, seja por humanos).

Para concluir, uma dica: você pretende que seu gatinho satisfaça aqueles estranhos desejos vegetarianos sem sofrer danos? Pois saiba que já existe à venda, em lojas de produtos para animais, bandejas com sementes de capim especial para gatos. É só regar e deixar crescer. Eles comem, se divertem…e não há sequelas. Quem sabe, até deixem suas orquídeas em paz. Aliás, o alpiste também pode ser plantado com esse fim.
Segue-se relação de algumas plantas tóxicas com as quais convivemos no dia-a-dia:
  • Antúrio (Anthurium)
  • Avelós (Euphorbia tirucalli)
  • Avenca (Adiantum capillus-veneris)
  • Azaleia (Azalea )
  • Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima)
  • Comigo-ninguém-pode (Diffenbachia)
  • Copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica)
  • Coroa-de-Cristo (Euphorbia milii)
  • Espada-de-São-Jorge (Sansevieria trifasciata)
  • Espirradeira (Nerium oleander)
  • Lírio e Lírio-da-paz (Lilium sp e Spathiphyllum wallisii)
  • Mamona (Ricinus communis)
  • Tinhorão (Caladium bicolor)
  • Violeta (Viola odorata)
Prof. Italo Gurgel, da Associação Cearense de Orquidófilos-ACEO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.