quinta-feira, 30 de maio de 2013

AS BELAS E DIFERENTES THUNIAS

Tsuni Abri Melia Na Hana 1
Thunia brymeriana
http://plaza.rakuten.co.jp/jume0329/diary/?

Thu.brymeriana2 tigela

http://plaza.rakuten.co.jp/jume0329/diary/?ctgy=27

イメージ 3
Thunia brymerianahttp://blogs.yahoo.co.jp/drug_mania_jp/folder/344545.html?m=lc&p=3

http://www.orchidweb.jp/orchidshow/jaos2001_summer/index.htm
Thunia brymeriana
http://www.aorquidea.com.br/forum/viewtopic.php?t=13622
Name:  Thunia-bensoniae-1.-1st-Jun.jpg Views: 277 Size:  75.7 KB
http://www.rv-orchidworks.com/orchidtalk/orchids-other-genera-bloom/25194-thunia-brymeriana.html
Thunia brymeriana
Name:  Thunia-bensoniae-2.-1st-Jun.jpg Views: 175 Size:  109.2 KB
http://www.rv-orchidworks.com/orchidtalk/orchids-other-genera-bloom/25194-thunia-brymeriana.html
Imagem
 Thu. brymeriana
Foto e cultivo  de 
WILLY GIS
 Thu. brymeriana



Trata-se de um reduzido número de orquídeas terrestres, que se desenvolvem desde o Nepal até a Indochina. Possuem pseudobulbos eretos, grandes, semelhantes à cana, com numerosas folhas de vida efêmera. Floresce no verão, suas flores são parecidas com a do gênero Cattleya, ligeiramente inclinada e com brácteas florais brancas e persistentes. O labelo é muito colorido, em forma de campainha e muito vistoso.



As plantas permanecem em repouso durante o inverno. Recomenda-se replantar utilizando vasos com substratos rico e uma boa drenagem. Novos brotos começarão a surgir no início da primavera e desabrocham com rapidez nos meses seguintes. Durante a fase de crescimento, as plantas necessitam de boa luminosidade e regas, de modo que o substrato não fique seco. 



É nesta fase que a planta necessita de muitos nutrientes e o adubo. Trata-se de um reduzido número de orquídeas terrestres, que se desenvolvem desde o Nepal até a Indochina. Possuem pseudobulbos eretos, grandes, semelhantes à cana, com numerosas folhas de vida efêmera. Floresce no verão, suas flores são parecidas com a do gênero Cattleya, ligeiramente inclinada e com brácteas florais brancas e persistentes. O labelo é muito colorido, em forma de campainha e muito vistoso.



As plantas permanecem em repouso durante o inverno. Recomenda-se replantar utilizando vasos com substratos rico e uma boa drenagem. Novos brotos começarão a surgir no início da primavera e desabrocham com rapidez nos meses seguintes. Durante a fase de crescimento, as plantas necessitam de boa luminosidade e regas, de modo que o substrato não fique seco. É nesta fase que a planta necessita de muitos nutrientes e o adubo.



São sete as espécies aceitas: T. alba, T. alba var. alba (ex-marshalliana), T. alba var. bracteata (ex-bracteata), T. bensoniae, brymeriana, candidíssima, pulchra (ex-masteriana).



Mudanças trazidas pelo Projeto Monocots, em 10/02/2008.
Substrato: em vaso velho de xaxim ou em outro, contendo fibras de xaxim bem velhas com mistura para plantas terrestres.



Necessita do sol da manhã direto para bem florescer e de sombra de 50% nas horas mais quentes.





A Thunia precisa um pouco de frio e de descanso, na fase de dormência. Adube a planta de julho com duas colheres de chá (10g) de calcário dolomético, mais adubo orgânico em igual medida sobre o substrato, mais adubação química 20-20-20 quinzenalmente. Em agosto ou setembro, logo após o replante, coloque em local mais quente e mais claro e regue com mais frequência para conservar a umidade.





Para conseguir mudas, basta amarrar um pedaço de xaxim ou sfagnum bem úmido no bulbo que já produziu ou fazer indução de keikes, com cortes de toquinhos em uma dessas canas (entre-nós).
A Thunia marshalliana atinge mais de 90 cm e produz de 3 a 8 flores de 12 cm, brancas, com labelo tubular contendo nervuras ramificadas e cristas em tom alaranjado sobre a cor branca.





A Thunia bensoniae com troncos suculentos de até 80 cm de altura densamente folhados. Folhas herbáceas lanceoladas de cor cinzenta. Inflorescências pendentes surgem no ápice dos troncos portando de 3 a 5 flores. Flor de oito centímetros de diâmetro com pétalas e sépalas brancas matizadas de roxo avermelhado. 

Labelo oblongo arredondado cor amarelo ouro com as partes dianteiras e lateral graciosamente franjadas e de cor roxo-purpúreo. Prefere locais frescos e de meia sombra. Floresce no verão. Procedência da Ìndia, China e sudeste asiático. Foi descrita por H. G. Reichenbach em 1852 no Botanische Zeitung (p. 7640).

Autor: Cultivo de Orquídeas - David Banks
Revista O Mundo das Orquídeas nº 27

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.